Relato

Histórias de Mães de Anjos ❤️Superação❤️

fevereiro 9, 2017

Relato de Mãe de Anjo

Minha história começou no dia 02/06/2016, quando peguei o resultado do meu Beta HCG, uma alegria inexplicável, logo marquei minha primeira consulta do pré-natal, estava de 4 semanas, eu e meu esposo estávamos extremamente felizes, contávamos os dias e os minutos para irmos as ecografias, e as consultas… Logo na primeira ecografia foi identificado que as minhas artérias uterinas estavam alteradas, na consulta meu GO receitou ASS infantil e passamos a acompanhar, sempre estive muito bem, nenhum sintomas que viesse me preocupar o tempo foi passando e percebi que estava cada dia mais inchada, era a minha única preocupação, porem, depois das 24 semanas de gestação as artérias uterinas já tinham sido normalizadas, então fiquei tranquila, e sempre estive muito bem, apenas muito inchada. Com 32 semana tive meu primeiro pico de pressão alta (14’9) e o GO já entrou com medicação para pressão. E passei a fazer os exames todas as semanas para controlar as plaquetas do sangue e sempre medindo a pressão, tudo normal nos exames e no controle da pressão, neste momento já tinha engordado (inchaço) 30kilos, continuei trabalhando, me sentindo pesada porém bem clinicamente até que na 35+2, numa quinta-feira tive outro pico de pressão 15’10, meu GO encaminhou para maternidade e repitimos todos os exames, e foi identificado que as plaquetas do sangue estavam caindo, meu GO pediu para que repetisse os exames na segunda feira, a intenção era acompanhar repetindo diariamente. Na segunda feira dia 9/1/2016 com 35+6 quando fui realizar novamente os exames as plaquetas estavam no limite e meu GO imediatamente solicitou meu internamento, no mesmo dia fiz ecografia e estava tudo bem ouvi o coraçãozinho do meu DAVI normal. Estava bem e tranquila, aguardando a visita do meu GO no quarto do hospital. Enquanto isso jantei, pois não imaginava que meu pesadelo começaria naquela noite, quando meu GO chegou e foi me examinar tivemos dificuldade para ouvir o coração do meu anjinho, imediatamente ele percebeu que o bebê estava em sofrimento, e iniciava o processo de pré-eclâmpsia, precisando ir para cesárea de emergência, mesmo tendo jantado.
No momento da cesárea meu esposo permaneceu o tempo todo do meu lado acompanhando o procedimento cirúrgico e a evolução da horrorosa pré-eclâmpsia DHEG (Doença hipertensiva específica da gestação) que levou o meu anjinho e ocasionando o descolamento da placenta com hemorragia interna, fazendo meu bebe nascer sem batimento cardíaco, precisando ser reanimado, tive muito sangramento interno, correndo grande risco de vida e de evoluir para eclâmpsia, fiquei 6 horas no centro cirúrgico aguardando a recuperação de todos os órgão ( falarei mais detalhes sobre essa monstruosa doença em outro post), porque acredito que muitas mães como eu não tem noção da gravidade). Saindo do centro cirúrgico, recebemos a notícia que nosso anjinho Davi tinha tido outra parada cardíaca e não resistiu… A tristeza e angústia tomaram conta dos nossos corações Davi será sempre nosso anjinho guerreiro que lutou todos os momentos, nosso amado primogênito.

❤️Papai e mamãe de anjo, filho, sempre amaremos você nosso anjinho, você levou um pedaço dos nossos corações ❤️

▪️ Quero aproveitar para agradecer toda a família e amigos que nos ampararam com carinho e mensagens de conforto. Em especial deixo meu eterno agradecimento a minha mãe Rosângela e meu esposo Dani.

Minha mãe que desde o meu positivo até meu internamento e até hoje tem estado no meu lado, me ajudando, fisicamente, emocionalmente, espiritualmente e em tudo que preciso e precisei, 24 horas por dia, sem você não sobreviveria mãe. Eu e o nosso anjinho Davizinho amamos eternamente você minha mãe amada.

Meu esposo, que também esteve o tempo todo ao meu lado, me dando toda força, desde aquele momento que estávamos juntos na sala de parto,  até todas as noites de hospital, que cuidou de mim e tem me dado muita força até hoje, se unimos em um grande amor e força para conseguirmos viver dia após dia. Meu amor te amo todos os dias das nossas vidas.

Mães de anjos, vamos compartilhar suas histórias e se ajudarmos na Superação desta dor.

Talvez também gostes

1 Comentário

  • Reply Priscila Moura da Silva agosto 3, 2017 at 3:51 pm

    Tive um filhinho que nasceu de 7 meses no dia 16/02/2016 com o peso 1,600 gramas,passou 12 dias na Uti Neonatal,no dia 26/02/2016 as 21:30 da noite recebi a notícia que ele faleceu por complicação respiratória,foi um choque pra mim receber palavras tão pesadas pra mim,minha família me ajudou e ainda hoje me ajudam,mais foi muito dificil porque além de ter sofrido a gestação e a perda do meu Arhur o Pai dele não me acompanhou em nada me abandonou,mais hoje estou bem só a saudade que ficou em mim dele💙

    Beijos e abraços 😘

  • Deixar uma resposta